Gente que faz em Iporã: Supermercado Santa Inês

 Supermercado

Seu Zé com os filhos Vinícius, Adriana e Rodrigo

Nas cidades pequenas é muito comum se ouvir referências sobre empresas familiares. Sem distinção de atividades ou porte, estas empresas se caracterizam pela presença dos membros da família na sua administração.

Os especialistas definem economicamente este modelo de empresa, igual ao de qualquer outra. No entanto, existem alguns pontos que as distinguem. Primeiro, elas devem estar ligada a uma mesma família durante pelo menos duas gerações. Isto, se essa ligação resultou sempre de uma influência recíproca, tanto na maneira de conduzir o empreendimento quanto dos interesses particulares da família.

A partir de um sonho, de um ideal ou necessidade, o empreendedor torna-se a pessoa que dá início ao negócio e no decorrer do tempo, outros membros da família começam a participar também. Nesse contexto, encontramos em Iporã uma empresa de grande sucesso e tipicamente familiar: O Supermercado Santa Inês.

Fundada pelo imigrante português Luiz Alves Cristovão, lá pelos anos 1955, a atual empresa deve seu nome ao município de sua matriz, Santa Inês, Comarca de Colorado, localizada no Paraná, quase na divisa de SP.

No início Luiz Cristovão trabalhava sozinho na Comercial de Tecidos Santa Inês Ltda. Mas logo abriu filiais com sócios em outros municípios, entre eles Formosa do Oeste, Paulistania, Alto Piquiri e finalmente em Iporã.

A oportunidade de instalar uma filial na cidade veio da compra de um estabelecimento que já vendia secos e molhados no local. É onde, até hoje, se encontra o Supermercado Santa Inês. Luiz comprou o ponto, o estoque, e mandou seu filho mais velho, José, para administrar o lugar. O ano era 1972. Em setembro, José Marques Alves Cristovam chegava a Iporã.

Seguindo as atividades da matriz, a filial vendia de tudo um pouco: alimentos, ferragens, tecidos, calçados, confecções. O movimento era ótimo e, pouco mais de dois anos depois, o patriarca dos Cristovam também veio morar em Iporã. Aos poucos, as outras filiais foram sendo vendidas e os investimentos da família ficaram concentrados em Iporã.

José casou-se e constituiu família. Os filhos Adriana, Vinícius e Rodrigo são iporãenses de uma geração agora mais dinâmica e animada.

Os anos correram e Seu Zé, como é conhecido, lembra ainda quando passou a ser um comércio de Secos e Molhados. Contava, na época, com o tradicional balcão de atendimento, tão característico das mercearias da região. Depois evoluiu à categoria de Mercado e agora à de Supermercado. “Passamos pelo Sarney, pelo congelamento, inflação, pelos altos e baixos do Brasil e estamos aqui”, relembrou satisfeito. São 43 anos de permanência da empresa em um mesmo endereço. Uma grande realização!

Mas a satisfação mesmo, garantiu ele, veio com a entrada dos filhos para trabalharem no Supermercado. Foi algo que aconteceu naturalmente, sem exigências. “Nós começamos quase juntos e fomos aprendendo”, explica Rodrigo.

Os irmãos Vinícius e Rodrigo começaram cedo e garantem que não se arrependem. O pai orientava e foram ganhando experiência. Vinícius e Rodrigo escolheram cursos na faculdade que adicionasse conhecimento para ser aplicado nos negócios da família. Vinícius inclusive foi além e cursou também Ciências Contábeis, após ter concluído Administração. Rodrigo é ligado à área de informática e é Bacharel em Sistemas de Informação, por vocação e conveniência. Ambos afirmam que gostam muito do que fazem.

Atualmente a administração do supermercado se divide entre os dois irmãos, cada um em uma área. Mas se revezam quando necessário.

Seu Zé afirma que já está aposentado, mas garante ser o Relações Públicas do Santa Inês. De acordo com os três, eles formam um Conselho Administrativo entre eles quando se trata de tomarem grandes decisões.

Um exemplo foi na grande expansão da empresa há uns quatro anos: a ampliação para 1.500m² de área construída com 900m² de loja e 600m² de estoque. “Precisávamos ampliar para conseguir modernizar e implantar sistemas modernos e informatizados, e assim oferecermos aos clientes uma loja agradável, atraente e ágil”, explica Rodrigo.

Se, hoje o Supermercado Santa Inês é uma empresa conceituada em Iporã e região, foi por fruto de muito trabalho e dedicação. Trabalho passado de geração em geração, desde os imigrantes portugueses Luiz (avô) e José Cristovam, até seus filhos.

Rodrigo é casado e pai de dois filhos. Ele sonha com o dia em que passará o comando desta empresa familiar de sucesso para os filhos e seus sobrinhos. “Trabalho com prazer, mas procuro manter o equilíbrio em minha vida. Não abro mão da convivência com a família e amigos. Quero envelhecer sabendo que cumpri este objetivo”, fala convicto o jovem empresário.

Vinícius afirma que se sente a vontade com o conceito de empresa familiar. Respeita a opinião do pai, mesmo quando sente necessidade de ser mais apressado nos investimentos. “Aprendi a valorizar quando ele diz que tal coisa não vai dar certo, ainda que eu pense que será uma evolução”, fala sorrindo.

Seu Zé conta que ao longo dos anos diversificou os investimentos em imóveis e na agropecuária. “Mas sempre em Iporã, por que daqui nunca quis sair”, destaca.

Rodrigo e Vinícius comentam dos novos empreendimentos com largos sorrisos e olhos brilhantes de antecipação. “Mas sempre em Iporã, por que daqui não

queremos sair”, completaram ao final da entrevista.

Supermercado

Fachada atual do Supermercado Santa Inês

O Supermercado Santa Inês antes da reforma e ampliação em 2012

A fachada durante a ampliação

Frente de Caixa em 2006

O fundador do Supermercado Santa Inês, Luiz Alves Cristovão

Tags:, ,

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário